Quase 60% dos brasileiros são favoráveis ao aborto em caso de estupro

O menor número de aprovação é em caso de gravidez indesejada, passando dos 60%

Por Luis H Andrade

Uma pesquisa  feita pelo Instituto Locomotiva e pela Agência Instituto Patrícia Galvão lançada na última segunda-feira aponta quais são os casos em que o brasileiro é favorável ao aborto. Entre os entrevistados, cerca de 81% dos brasileiros concordavam com alguma das situações: falta de condição para criar, meninas com até 14 anos, feto com alguma doença grave ou incurável, gravidez não desejada, ou mulheres em situação com risco de vida ou tenha ficado grávida após sofrer um estupro.

O maior nível de apoio ao aborto é relacionado ao estupro. 59% dos entrevistados se disseram “totalmente a favor. Os percentuais de apoio caem em situações em que se trata de meninas com até 14 anos grávidas (27%); se a família não tiver condições de criar (19%) e em caso de uma gravidez não planejada (11%). As pessoas que dizem ser “totalmente contra” o aborto quando a gravidez não é planejada chegam a 66%

 

Intitulada “Percepções sobre o aborto no Brasil”, a pesquisa foi realizada em 12 regiões metropolitanas do Brasil, entre os dias 27 de outubro e 6 de novembro. Foram ouvidas 1.600 pessoas, entre homens e mulheres com 16 anos ou mais

 

PEC 181

Acontecerá nesta semana, sob pressão da bancada evangélica, a votação da emenda constitucional que proíbe todos os tipos de aborto no pais, inclusive em casos que são considerados legais atualmente. No Brasil, é permitido aborar em três situações: quando a gravidez é resultado de estupro, quando o feto é anencéfalo e quando não há jeito de salvar a vida da mãe.

Deixe sua resposta