Compacto com cara de SUV

Focado no mercado brasileiro, novo modelo da Renault parece um mini-Duster, mas preço e categoria mostram que Kwid veio mesmo para brigar com Up! e Mobi

Foi em terras argentinas que a Renault mostrou seu novo modelo que invadir as ruas brasileiras a partir: o Kwid. A revelação aconteceu no início de junho, no Salão de Automóveis de Buenos Aires.

Com um design bem peculiar, o Kwid parece um mini-Duster e será vendido como um “SUV compacto urbano”, porém ele chegará mesmo para disputar mercado, em especial com Volkswagen Up! e Fiat Mobi, na categoria dos subcompactos. O carro passa a ser o modelo de entrada da Renault no Brasil, posto que até então era exercido pelo Sandero e já ficou a cargo do Clio.

Lançado na Índia, em 2015, o Kwid tem a versão tupiniquim mais sofisticada, refinada e segura, em função do gosto local e também da legislação vigente no Brasil. A preocupação é resultado da má repercussão gerada pelos resultados dos exemplares indianos em crash-tests, no ano passado.

O modelo de lá virou notícia ao zerar os testes de segurança do Global Ncap, programa de avaliação de segurança automotiva. Meses depois, já com reforços estruturais, ele foi pouca coisa melhor e recebeu apenas uma estrela entre cinco possíveis. Muitas alterações foram feitas e espera-se que ele não repita, na versão brasileira, a mesma fragilidade em caso de acidente.

O novo carro da Renault tem espaço para cinco pessoas, é mais resistente e forte, possui novos equipamentos e isolamento acústico reforçado, mas também é mais pesado. Enquanto a versão indiana tem 680 kg, a nossa tem 840 kg.

O porta-malas do compacto, com capacidade de 300 litros, não tem abertura elétrica e depende exclusivamente da chave para ser aberto. Apenas como comparação, um Hyundai HB20 oferece compartimento para 300 litros. O Fiat Mobi, por sua vez, oferece um porta-malas de 235 litros. Ponto para Renault.

A suspensão elevada é um dos diferenciais do modelo: 19cm do solo, maior que a do Sandero Stepway. Um Nissan Kicks, por exemplo, tem 20 cm de altura livre em relação ao solo.

O carro também merece destaque o bom ângulo de saída, que fica em 40º. As molduras das caixas de roda não têm ressalto e os plásticos nas portas possuem adesivos estilizados, conferindo um visual discreto ao Kwid. As rodas são de três furos.

Todas as suas versões são equipadas com o motor 1.0 SCe de três cilindros, estreado pelo Sandero e pelo Logan, e gera 82 cv com etanol e 79 cv com gasolina, graças ao duplo comando de válvulas variável, na admissão e no escape. O torque chega a 10,5 mkgf com etanol.

Trabalhando em conjunto com o câmbio manual de 5 marchas, o Renault Kwid passa a ser o carro não eletrificado (híbrido) mais econômico do Brasil, entregando 15,2 km/l na cidade com gasolina e 10,5 km/l com etanol no mesmo tipo de percurso. O Peugeot 208 com motor 1.2, que até então detinha o título nessas condições, alcançava parcial de 15,1 km/l em percurso urbano com gasolina.

SUV pequeno com preço de compacto

Quem deseja reservar terá de pagar online ou em concessionária o valor de R$ 1.000, por meio de cartão de crédito, podendo pagar em até três parcelas. A pré-venda conta com algumas vantagens, como cinco anos de garantia e primeira revisão gratuita para os que fizerem o financiamento por meio do banco Renault e com entrega prioritária.

Em sua versão de entrada, Kwid Life, o compacto conta com sistema de fixação de cadeirinhas de criança Isofix e vem com quatro airbags (dois laterais e dois frontais) de série, algo inédito entre os subcompactos de entrada. Tudo isso por R$ 29.990. Para atingir esse valor, 40% das peças do veículo fabricado em São José dos Pinhais, no Paraná, serão importadas da Índia.

A versão intermediária Zen tem os mesmos equipamentos da Life, somado a ar-condicionado, vidros e travas dianteiros elétricos e mais direção elétrica, pelo preço de R$ 35 mil. O opcional do tem rádio com entradas USB, auxiliar e Bluetooth, acrescentando um valor e totalizando R$ 35.390.

A versão mais cara, Intense com Pack Connect, possui os mesmos equipamentos da versão Zen, com faróis de neblina, retrovisores elétricos, tela com 7 polegadas para áudio, câmera e navegador de manobras, rodas Flexwheel, chave dobrável e abertura elétrica para os porta-malas, custando R$ 40 mil.

O Renault Kwid será oferecido nas cores Orange Ocre, Vermelho Fogo, Branco Marfim, Branco Neige, Prata Étoile e Preto Nacré. Para 2018 está confirmada a estreia da versão Outsider, com apelo mais voltado ao off-road e visual mais caprichado.

Leave a reply