Confira o que abre e o que fecha no feriado do Dia do Evangélico em Brasília

Ônibus rodam normalmente; Metrô abre apenas 9 das 24 estações. Espaços culturais abrem, e bibliotecas fecham.

Por: Diego Tolentino

Serviços públicos do Distrito Federal fecham as portas ou alteram o horário de atendimento nesta quinta-feira (30), em razão do Dia do Evangélico. A data é celebrada em todo o país, mas se tornou feriado apenas no DF, com uma lei distrital aprovada em 1995. Postos de saúde e ambulatórios devem ficar fechados durante todo o dia, e o Metrô adota escala reduzida.

Na Polícia Civil, as delegacias abrem em esquema de plantão. Segundo o governo, a maior parte dos centros culturais abre no feriado (veja abaixo) – a exceção são as bibliotecas públicas. Fechada durante a semana para manutenção, a Torre de TV estará aberta para visitação nesta quinta.

Confira o funcionamento dos serviços públicos e espaços de cultura do DF nesta quinta (30):

Prédios públicos

BRB: agências fechadas na quinta.

Hemocentro: prédio fechado na quinta. Mais informações pelo telefone 160, opção 2.

Na Hora: unidades fechadas.

Procon: sem atendimento na quinta.

Secretaria de Fazenda: atendimento indisponível por telefone e nas agências físicas. Na web, é possível registrar a dúvida para resposta posterior. A emissão de boletos pela internet segue disponível.

Saúde: UPAs e emergências hospitalares funcionam normalmente, segundo o governo. Já os postos de saúde e os ambulatórios ficam fechados no feriado.

Polícia Civil: em esquema de plantão. Ficam abertas as seguintes delegacias: 1ª DP, 4ª DP, 5ª DP, 6ª DP, 13ª DP, 18ª DP, 20ª DP, 21ª DP, 23ª DP, 24ª DP, 26ª DP, 27ª DP, 30ª DP, 31ª DP e 33ª DP. A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) e as duas da Criança e do Adolescente (DCA I e II) também ficam abertas.

A Delegacia Eletrônica e o telefone 197 ficarão disponíveis durante as 24 horas do feriado, segundo o governo.

Transporte público

Ônibus: Segundo o DFTrans, a escala de ônibus não será reduzida nesta quinta, e os veículos rodam na mesma frequência de um dia de semana comum. “De acordo com a demanda, poderá haver adequações de horários ao longo do dia”, diz o governo.

Deixe sua resposta