Criança com leucemia encontra doadora, mas não consegue fazer transplante

Raí Rodrigues, de 9 anos, luta contra doença, e apesar de ter irmã doadora, sistema de Saúde do RN não realiza transplante desde 2016.

Por: Diego Tolentino

Na luta contra a Leucemia desde 2013, Raí Rodrigues, de 9 anos, conseguiu finalmente uma doadora de medula ósse, a sua própria irmã, Maria Raíla. Apesar de ter o mais difícil dentro de sua própria casa, o garoto não tem previsão de quando irá fazer o transplante, pois o estado do Rio Grande do Norte não realiza transplantes desse tipo, desde agosto de 2016. A família do garoto aguarda uma decisão judicial, mas até agora, não tiveram respostas.

A luta de Raí é só mais um exemplo entre muitos que também aguardam um transplante. No dia de hoje, que é  O Dia Nacional de Doação de Órgãos, se torna marco importante principalmente para quem depende de uma doação. Atualmente, 44% das famílias de possíveis doadores se recusam a doar.

Segundo a Central de Transplantes do RN, a retomada das operações em crianças está dependendo da implantação de uma UTI pediátrica, de acordo com as normas e critérios exigidos pelo Sistema Nacional de Transplantes e do Ministério da Saúde. Raí passará por todas as consultas e exames necessários para que seja encaminhado e realize o transplante em outro estado, mas o prazo para isso não foi divulgado. Resta ao garoto e sua família, esperar ansiosamente.

No estado do RN só resta aos pacientes aguardar por um dia enfim conseguir um transplante

Deixe sua resposta