Cunha permanecerá em Brasília até 20 de novembro

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, deferiu um pedido da defesa para adiar o retorno.
Por Luis H Andrade

O deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ficará em Brasília, pelo menos, até o próximo dia 20, quando retornará para Curitiba, onde cumpre um mandado de prisão preventiva. A previsão inicial era de que o ex-deputado permanecesse em Brasília somente até o fim dos interrogatórios presenciais, que acabaram na última segunda-feira. Porém, o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, deferiu um pedido da defesa para adiar o retorno.

Pesam, ao menos três mandados de previsão preventiva, sobre Cunha. Sendo um deles da Justiça Federal de Brasília, e, outro do Supremo Tribunal Federal (STF). O terceiro, mais antigo, foi expedido em outubro de 2016.

O juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba condenou o ex-deputado a mais de 15 anos de prisão, por denúncias da Operação Lava Jato.

Exerceu o cargo de deputado federal entre fevereiro de 2003 e setembro de 2016, quando teve o mandato cassado no plenário da Câmara dos Deputados.

Eduardo Cunha também aproveitou para declarar que ““Estou sem renda, na mais absoluta penúria”. Garantiu, confirmando que não há dinheiro para pagar os honorários advocatícios dos seus defensores. Segundo ele, seus advogados receberão futuramente. Quando foi cassado, em outubro, todos os seus bens foram congelados, incluindo o de sua esposa, Claudia Cruz.

Os bens bloqueados são imóveis, investimentos ativos, veículos e ações.

O que gerou comentários de todos os tipos na internet, diversos usuários fizeram piadas com a situação atual do ex-deputado.

Deixe sua resposta