Ex-chefe da segurança da CLDF nega vínculo com máfia dos concursos

Mário Nóbrega diz que conhece e defendeu Helio Ortiz.

Por: Diego Tolentino

Entre os alvos da segunda fase da Operação Panoptes, deflagrada nesta segunda-feira (30/10), está o delegado aposentado da Polícia Civil Mário Gomes da Nóbrega. Ex-coordenador da Polícia Legislativa da CLDF, ele foi conduzido coercitivamente para depor no Departamento de Polícia Especializada (DPE), pela manhã, e se sentiu constrangido.

Nóbrega teria feito parte da operação por sua relação com o chefe da máfia dos concursos, Helio Ortiz, preso durante a primeira fase da Panoptes em agosto deste ano. O delegado aposentado é suspeito de passar informações a ele sobre o concurso da Câmara Legislativa.

No depoimento desta segunda, Nóbrega garantiu não ter falado com Helio sobre o concurso da Câmara. “Se falei, era só que existia uma chance de ocorrer. Mas, para você ver, até hoje não é nem certeza (de que as provas serão realizadas)”, acrescentou.

Como advogado, Nóbrega disse ainda ter defendido Ortiz em três oportunidades: uma em uma ação da Polícia Federal, na investigação sobre rinhas de galo; e em outras duas, relacionadas a execuções de dívidas. “Uma pessoa te procura, você é advogado, não vai pegar o caso?”, questionou.

 

Deixe sua resposta