Janot sai e Raquel Dodge entra. Guerra contra corrupção deve se estender

Nova nomeação traz Raquel Dodge, primeira mulher da história, no comando da PGR

Por San Thor Oliveira

Foto: Marcos Corrêa/PR

Raquel Dodge, a nova Procuradora-Geral da República, afirmou na cerimônia de nomeação, que o comando da Procuradoria-Geral da República (PGR) seguirá com coragem no combate à corrupção. É a primeira vez na história que uma mulher é indicada para o cargo. Raquel é Mestra em Direito pela Universidade de Harvard e está no Ministério Público Federal (MPF), desde 1987. Ao assumir na manhã desta segunda-feira (18), citou ainda, palavras do Papa Francisco, sobre a corrupção e pediu a “proteção de Deus” para que não hesite quando for colocada à prova.

Ao que tudo indica, diferente de Rodrigo Janot, o antecessor do cargo, a nova Procuradora-Geral, não deve tomar frente na condução da Operação Lava Jato, por ser conhecida como uma mulher reservada.

A nomeação foi de escolha pessoal do Presidente da República, que esteve presente na cerimônia de posse. Michel Temer, aguarda a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre sua segunda denúncia, de corrupção passiva. O clima, ao menos nos próximos dias, deve esfriar enquanto Raquel Dodge começa no cargo e Janot tira férias de 30 dias antes de voltar como subprocurador da república.

Deixe sua resposta