Labirinto de lixo no centro de Brasília ensina sobre coleta seletiva e sustentabilidade

É possível aprender sobre o lixo, os caminhos até o ponto final e a importância da separação e reciclagem do lixo após descartado

Por San Thor Oliveira Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

 

260 toneladas de lixo no coração da capital federal sugere uma reflexão. Posicionados ao lado do Museu Nacional, um labirinto montado com blocos de lixo (igual aqueles fardos de feno) faz um convite à população, para conhecer e refletir sobre a quantidade de lixo produzida todos os dias e assim, a importância da coleta seletiva. Andando pelos corredores dessa “cidade de lixo” é possível ficar sem saída, se deparar com várias e várias placas que ensinam sobre a reutilização de lixo orgânico, a importância da separação dos tipos de lixo, o valor da coleta e o processo de fechamento do lixão da Estrutural. É impactante quando os visitantes se dão conta da quantidade de lixo que apenas uma pessoa é capaz de produzir e deixar para trás todos os dias (de acordo com a SLU, Serviço de Limpeza Urbana, e média são produzidos 1Kg de lixo por pessoa). Ao final do trajeto pelo labirinto de lixo, as pessoas entendem o caminho que o lixo faz até os diferentes destinos que podem ter.

Do total de lixo produzido no DF, menos de 5% dos resíduos sólidos são reciclados. Ou seja, muito do que se produz é apenas descartado. A ideia dessa exposição da quantidade de lixo é boa, tendo em vista que algumas cidades de Brasília que antes tinham coleta seletiva, agora não possuem mais. E de acordo com o GDF, não teve adesão suficiente da população para com a separação dos tipos de lixo. Como a coleta demanda dinheiro, não era possível manter a ronda dos caminhões, tendo em vista que muitas pessoas ainda não separam. Além disso, o Governo do DF diz que para o próximo mês, o lixão deverá servir apenas para recolher resíduos de construções civis e as cooperativas de catadores vão ser responsáveis por fazer uma triagem do material recolhido. Até 2018, os centros de triagem definitivos que estão sendo construídos ao que tudo indica ficarão prontos para organizar melhor os processos. Até então, existem cinco galpões alugados que são utilizados para a separação.

 

Deixe sua resposta