“Não quer entrar e tomar uma xícara de… Arte?”

A arte se esconde entre os concretos, em cada morador da Capital brasileira pode existir um artista, um outro Athos Bulcão

Por San Thor Oliveira
Foto: Matheus Bueno

Tuca | Foto: Matheus Bueno

Não é de hoje que Brasília é uma cidade de grandes artistas plásticos. Grandes nomes da arte nacional, como Glênio Biancheti e Athos Bulcão, conseguiram levar seus nomes longe o suficiente para serem conhecidos e reconhecidos em âmbito internacional. Porém, como alguns artistas de Brasília conseguem visibilidade? A criatividade se esconde entre os diversos moradores da capital federal. No final das contas, vale muito a pena brincar de procurar agulha no palheiro, o resultado pode ser fabuloso.

“Não curto muito rótulo. Acho que rótulo limita muito, no caso, eu”. Maria Tuca Maia é moradora do Park Way, em Brasília, e formada em Artes Plásticas. É casada, dona de casa e auxiliar de aulas de cerâmica no Museu Vivo da Memória Candanga. Tudo começou com uma loja de decoração na 111 Norte, em Brasília, onde ela representava uma marca da Paraíba de redes e mantas. Em uma viagem de negócios, visitando a loja central da marca, constatou que o ambiente destinava um espaço da loja para os artistas locais. “Eu posso muito bem também ceder um espaço na minha loja para os artistas da capital, coisa que em Brasília é difícil”.

Então, Tuca mexeu em seu estabelecimento, que ocupava térreo e subsolo, e destinou a parte inferior para uma galeria. Os artistas chegavam, traziam as peças para que ela expusesse e, assim, começou um merchant para esses artistas. Posteriormente, fechou o espaço, mas continuou tocando a divulgação que havia começado a fazer para os artistas.

Em um dado momento, Maria Tuca descobriu que o artesanato conversava mais com ela do que a própria arte. “O quadro em si me limita muito; quando estava estudando, lembro do professor falando: “Tuca, é só no quadro!”. Mas eu ia além”. Decidiu então ir para o lado do artesanato. Hoje, para conseguir vender seus produtos e divulgar seu trabalho, ela conta com uma página no Instagram, uma no Facebook e sua tática própria de fazer chá com arte!
Sabendo das dificuldades e reconhecendo que as pessoas cansam de ficar apenas olhando em páginas e várias fotos, criou um método além do convencional. A artista conta que chega na casa de amigos e clientes, prepara um delicioso chá e oferece: “Vamos tomar um chá?”. Com isso, ela sai expondo todas as suas peças ali mesmo. Pendura nas paredes, organiza em cima da mesa junto do chá, coloca plantinhas e esculturas nos vasos e anuncia que tudo está à venda.

Tuca lembra que um ponto muito importante nesse mundo é o apoio dos amigos e familiares. “É uma elite que serve à corte. E nem todo mundo tem acesso a essa corte.” Futuramente sonha em abrir um grande ateliê, em forma de árvore ou em uma árvore, onde cada galho vai poder ser uma sala com sua finalidade, sejam aulas, práticas, uma exposição de madeira, de cerâmica ou de artesanato, por exemplo. Um espaço em que possa soltar sua criatividade sem limites, receber e trabalhar com pessoas ao seu lado.

 

Serviço
Maria Tuca Maia – Artísta plástica
Tel.: (61) 99116-1275
Instagram: @maiatucamaria

Deixe sua resposta