O space-rock ocupa Brasília com o Festival Nas Estrelas

Banda Pollares reúne bandas locais e nacionais em um só festival para lançamento de seu segundo álbum, “Juno”

Por Luis H Andrade*

Se há uma coisa que a banda Pollares é especialista, é o space-rock. Os brasilienses Pedro Senna (bateria, synths,percussão e loops), Ugo Fonseca (guitarra, baixo, violão, synths e backing vocals) e Walter Mourão (Voz e synths) reuniram influências como Muse, Twenty One Pilots, Awolnation, The Killers e Thirty Seconds To Mars para criar um som completamente único.

Em Agosto de 2013, a banda iniciou a produção do primeiro álbum “Indestrutível”, no estúdio Norcal, em São Paulo, que contou com a produção de Adriano Daga (Malta) e Brendan Duffey. O disco tem a participação de Lucas Lima, Moisés Lima (Família Lima) e Elliot Reis (Gloria).

Agora o trio se prepara para o lançamento de seu 2ª álbum: “Juno”. O nome, assim como todas as referências propostas pelo grupo, carrega uma referência espacial: na mitologia romana, Juno é a esposa de Júpiter e rainha dos deuses. “Em nossas letras usamos o espaço como palco para a criação, que fazem referência ao nosso cotidiano”, explica Pedro Senna. “Nossa base é passar a mensagem do união. Estamos em tempo de sermos mais empáticos e tratamos o amor como um objetivo”, completa o guitarrista, Ugo Fonseca.

O disco narra, subliminarmente, a história de uma entidade que carrega uma mensagem de amor e empatia. Esta entidade, que não possui definição de gênero, chega à terra e passa a ter contato com humanos. “No ponto de vista dela contamos sobre as diferenças no nosso cotidiano, diferenças climáticas, mudanças e até histórias pessoais”, afirma Ugo.

Apesar da narrativa, as letras continuam a falar sobre sentimentos vividos pelo trio. “A história é só um guia. Gostamos que as pessoas tenham suas próprias impressões e interpretações do que está sendo passado”, diz Pedro Senna.

Nas Estrelas

Para transmitir aos brasilienses todo o sentimento “de outro mundo”, os meninos prepararam o Festival Nas Estrelas, e convidaram as bandas nacionalmente conhecidas Zimbra, Plutão Já Foi Planeta, Lupa, San Lunes e Augusta para se unirem à line-up, que se encerra com apresentação das faixas novas da Pollares.

O evento juntou bandas que tem se destacado nacional e localmente, cada uma com sua sonoridade muito bem definida. “Esta é uma soma ao conceito do festival”, explica Senna. O Festival, que toma espaço no Canteiro Central no dia 4 de novembro, vem também para combater o senso comum que costuma afirmar que o Distrito Federal não tem (identidade) uma cultura própria.

“Acreditamos que festivais independentes ajudam a construir uma identidade muito pessoal na cidade. Ficamos felizes em saber que estamos fazendo parte de um momento importante, que é a construção da cultura em Brasília”, afirma Ugo.

 

SERVIÇO

Data: 4 de novembro de 2017

Local: Espaço Canteiro Central (Setor Comercial Sul Q. 3 BL A – Brasília, DF, 70297-400)

Horário: à partir das 16h

Evento: https://www.facebook.com/events/279361692553841/

Deixe sua resposta