Polícia faz buscas para apurar fraudes na Fundação de Apoio à Pesquisa de Brasília

Ao todo, são seis mandados de busca, no DF, Entorno e Goiânia. 

Por: Diego Tolentino

Polícia Civil cumpre seis mandados de busca e apreensão para apurar fraudes em licitação na Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP) nesta quarta-feira (18). A corporação aponta desvios de pelo menos R$ 2,5 milhões. Cinco pessoas estão envolvidas.

Segundo a polícia, um convênio firmado entre a FAP e o Instituto de Estudos e Projetos de Interesse Social (Iepis), no valor de R$ 2,5 milhões, serviu de “pano de fundo para que o dinheiro público fosse desviado”, por meio da subcontratação ilegal de outras três empresas.

De acordo com as investigações, os suspeitos foram identificados cometendo fraudes em 2010. A operação desta quarta ocorre após a polícia identificar que eles continuavam ativos, “fazendo novas ações”. A FAP informou que apóia a investigação e que vai colaborar “com tudo que puder para esclarecer este caso”.

O Iepis deveria fazer a capacitação de jovens para o mercado de trabalho, mas como não tinha condições e nem funcionários para isso, subcontratou ilegalmente outras três empresas que também não prestaram serviço. A polícia concluiu que o contrato não passou de pano de fundo para o desvio do dinheiro recebido pelo Iepis para as empresas subcontratadas.

 Os alvos são endereços no DF, no Entorno e em Goiânia. Em Brasília, os mandados de buscas são cumpridos em lugares como Sudoeste, Lago Sul e Núcleo Bandeirante. A operação é da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco).
São investigados os crimes de associação criminosa, peculato, dispensa indevida de licitação, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Sala da onde supostamente funcionaria da Iepis, contratava pela FAP

Deixe sua resposta