Procuradora-geral da República fixa prazo de 60 dias para concluir investigação que envolve presidente

Uma das primeiras ações de Raquel Dodge, procuradora-geral da República, foi encaminhar ao Supremo Tirubnal Federal (STF), pedido para que o presidente Michel Temer deponha a respeito de suspeita de irregularidades envolvendo o favorecimento à empresa Rodrimar, que opera no Porto de Santos (SP).

A solicitação foi enviada ao gabinete do ministro Luís Roberto Barroso, relator no Supremo Tribunal Federal (STF) do inquérito e a quem cabe autorizar o depoimento, na última sexta-feira (29/9). Dodge requereu ainda, a concessão de prazo de 60 dias para a conclusão do inquérito.

Raquel Dodge | Ailton de Freitas | Agência O Globo

Com as ações tomadas, a atual PGR, afasta suspeita de que por ter sido indicada pelo presidente da República, poderia aliviar as investigações contra Temer. Dodge solicitou ainda, a realização de sete diligências, que serão tocadas pela Polícia Federal.

A investigação foi pedida em junho pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com base na delação de executivos da J&F.

No documento, Dodge Raquel Dodge solicitou ainda, acesso ao registro de doações eleitorais feitas pela Rodrimar S.A., empresas do mesmo grupo econômico e seus sócios para Michel Temer, o PMDB nacional e o PMDB regional de São Paulo nas eleições de 2014 e 2016, além dos registros de entrada no Palácio do Planalto, ao longo deste ano, de Ricardo Mesquita, Celso Grecco, Edgar Safdie, Coronel João Batista Lima Filho e José Yunes.

Leia a Documento na íntegra a Petição da Procuradoria Geral da República.

Imagem Destacada: Foto Evaristo Sá – AFP

Deixe sua resposta