Segurança, saúde e educação do DF ficam de fora do pagamento até fim do mês.

Categorias são excluídas por receberem pelo Fundo Constitucional. Para outros setores, governo prometeu que, até dezembro, vai conseguir pagamento para ‘dentro do mês’ trabalhado.

Por: Diego Tolentino

A promessa de pagar os servidores até o fim do mês trabalhado, em vez do quinto dia útil do mês seguinte, só entrará em vigor para quem recebe diretamente do governo do Distrito Federal. Porém, quem é da área da segurança pública, da saúde ou da educação vai continuar recebendo no quinto dia útil. Isso porque esta categoria é vinculada à União e é pago com o Fundo Constitucional.

O compromisso de antecipar o pagamento para os servidores foi feito pelo secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio. Segundo ele, a medida passa a funcionar a partir de dezembro.

A forma de pagamento ainda dentro do mês trabalhado era realizada até a gestão do ex-governador Agnelo Queiroz. Por conta da crise financeira, o governo Rodrigo Rollemberg passou a pagar os servidores até o quinto dia útil do mês seguinte.

Até dezembro, o secretário declarou que o governo vai  trazer o dia de pagamento para “mais perto” do começo do mês. Portanto, em vez de os servidores receberem no quinto dia útil, podem receber, por exemplo, no terceiro já a partir de novembro.

Com isso, medidas de austeridades ficam mantidas , como o contingenciamento de despesas como diárias e passagens nas secretarias ou a impossibilidade de oferecer reajuste a servidores.

A segurança pública será um das categorias afetadas pelo Fundo Institucional

Deixe sua resposta