“Super Só e outros videoclipes”: solidão, fantasia e humor

Com direção de Miriam Virna, João Angelini e William Ferreira, espetáculo faz temporada de 19 a 29 de outubro no Teatro SESC Garagem. Repleto de canções, fala sobre solidão mas com humor.

Por San Thor Oliveira Foto: Diego Bressani

 

Solidão, medo, angústias, sonhos e desejos são os sentimentos que pairam sobre a peça. A cada história que é contada, um enredo e trilha sonora fazem do do musical “Super Só e outros videoclipes” uma peça que aborda as relações humanas, incentivando a reflexão por meio de uma boa dose de humor. A temporada será de 19 a 29 de outubro no Teatro SESC GARAGEM, na 713/913 Sul. A trama nasceu das letras escritas por Miriam Virna, artista consagrada e que já dirigiu outros espetáculos, como o infantil “Abigail e a Girafa”. “A peça fala sobre questões humanas atuais, sobre a solidão, de um modo diferente”, comenta Miriam.

A montagem é construída a partir de um processo em equipe e as canções são não apenas a cereja do bolo, mas talvez, o recheio dele. Em cena, as músicas surgem como videoclipes pelas mãos de Angelini (co-direção). Trata-se de um projeto multimidiático que aponta para diferentes vertentes, como videoclipes, cartoon e CD, se unem como um musical cênico, com muito trabalho corporal da parte dos atores em cantar e interpretar.

Sobre o enredo:

Miriam além de uma das diretoras, interpreta a personagem Rebeca, uma criança que se gaba de só comer comida rosa. Os atores Roberto Dagô e Elisa Carneiro interpretam Frederico (conhecido como Fred), Marienilde, Driele e Otacílio. Todos são moradores ou frequentadores diários da quadra e, a história vai cruzando suas vidas e daí uma sucessão de fatos. Em comum, os personagens são assombrados pela presença do “Super Só”, uma espécie de anti-herói. Fred é um tímido crônico, um rapaz com fobia social que tem o cotidiano perturbado com a chegada do cachorro Vitinho. Marienilde é casada e balconista do “Armarinho Coisinhas”. Vive entre os novelos e crochês e passa por uma profunda crise de familiar. Otacílio, zelador do prédio, preza pela ordem de todos e pela limpeza do local, mas sofre as amarguras de ter sido abandonado pela mulher. Driele veio do interior de Goiás para tentar uma vida mais emocionante em Brasília, acaba se tornando operadora de telemarketing.

 

Serviço:

“Super Só” – Teatro SESC Garagem: W4 Sul Quadra 713/913 Brasília/DF

Período: 19 a 29 de outubro de 2017, às 20 horas.

1ª semana:  19 a 22 (de quinta a domingo)

2ª semana: 27* a 29 (de sexta a domingo)

* Na sessão do dia 27 haverá audiodescrição para deficientes visuais

Telefone: (61) 3445-4401

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Deixe sua resposta