Travestis e transexuais são maioria entre LGBT’s a denunciar crimes em Brasília, diz pesquisa

Estudo mostra que maioria dos crimes ocorreu na casa do suspeito ou da vítima e em transporte público em Brasília.

Por: Diego Tolentino

Pesquisa inédita divulgada pela Companhia de Planejamento (Codeplan) mostra que travestis e transexuais são maioria entre a população LGBT do Distrito Federal a denunciar crimes motivados por orientação sexual. Este grupo corresponde a 8,6% e 5,9%, do total de vítimas que realizaram denúncias de homofobia e transfobia. Outros 79,9% das vítimas que fizeram denúncias não quiseram identificar gênero.

A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira (17) e teve como base as denúncias de crimes feitas ao Disque 100 e boletins de ocorrência registrados na Polícia Civil de Brasília.

A pesquisa revelou que a maioria dos crimes, em 2015 e 2016, ocorreu no transporte público (29% no ano passado e 43% em 2015) e na casa a vítima ou do suspeito (24% em 2016 e 30% em 2015). Sobre as ocorrências, o relatório mostra que injúria e ameaça configuram como maioria entre as denúncias feitas à Polícia Civil.

Já no Disque 100, a maioria dos registros do ano passado são de casos de discriminação (40%) e violência psicológica (40%), considerados pelos pesquisadores as duas as categorias “mais comuns de um comportamento homofóbico”.

Drag queen mostra seringa colorida em referência à ‘cura gay’, durante parada LGBTI no DF

Deixe sua resposta