Um vinho degustado pelo Papa!

Com simplicidade e taninos suaves, os vinhos elaborados com a uva Bonarda têm sim exemplares especiais e gostosos de degustar

Texto: Cynthia Pastor | Fotos: Divulgação

 

Que a Argentina produz 31.047 hectares de Malbec isso todo mundo sabe. Mas também produz 18.127 hectares de Bonarda, o que faz a Cabernet Sauvignon ser a terceira com apenas 17% de hectares cultivados no país dos hermanos. A Bonarda aportou por lá trazida pelos primeiros imigrantes europeus e segue firme em solo especialíssimo ao Leste de Mendoza, distante da Cordilheira dos Andes e cultivada em terras mais calorosas.

 

Simplicidade e tradição

Degustei um vinho com Bonarda, por apenas 60 reais a garrafa, acompanhando por um spaghetti ao funghi sechi com creme de leite fresco. Um vinho vibrante, repleto de frescor e simplicidade que rememorou as boas cantinas. Sim, cantinas! E por que não? A simplicidade da mesa saborosa e um vinho com taninos suaves, provavelmente já degustado pelo Papa! Sim, porque a uva Bonarda está nas mesas argentinas mais tradicionais!

Com uma coloração belíssima, a Bonarda é muito utilizada com uva de corte com intensidade cromática. Com menor teor alcoólico e suavidade, a Bonarda se apresenta como a possiblidade de um vinho para o dia a dia, ou seja, aquela saudável taça diária no almoço ou no jantar.

 

Sugestões de vinhos 100% Bonarda

Finca Las Moras – 100% Bonarda, sem passagem por madeira, com bela coloração rubi. Na boca as frutas vermelhas como amora e framboesa ganham, também, um toque terroso. Leve e com uma certa rusticidade ao mesmo tempo, ficou perfeito com spaghetti ao funghi sechi servido no La Vitta é Bella, uma quase cantina também rústica do italiano Fabrizio, que veio de Brescia para a Chapada dos Veadeiros! Com o risoto da casa, que é sensacional, também se casaria bem.

NietoBiblioteca Senetiner Bonarda – Um Bonarda 100% que pode ter guarda de até 3 anos. Na Argentina é harmonizado com as famosas morcillas e outros cortes da tradicional parrilla.

Don Nicanor Bonarda – Vinho 100% Bonarda, mas que passa 12 meses em barris de carvalho francês com potencial de guarda de oito anos. Perfeito para comer com um risoto de cogumelos, por exemplo, e perfeito para acompanhar as carnes da parrillada.

Deixe sua resposta