Vítimas de violência doméstica podem pedir socorro pelo celular em Brasília

Aplicativo “Viva Flor” será usado, inicialmente, por 100 mulheres com medidas protetivas deferidas pela Justiça.

Por: Diego Tolentino

Mulheres que estiverem com medidas protetivas de urgência, em especial as que são ameaçadas de morte, contarão, agora, com um aplicativo instalado no próprio celular, chamado Viva Flor. A iniciativa faz parte do projeto-piloto do Programa de Segurança Preventiva anunciado nesta segunda-feira (20/11) pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB), na Casa da Mulher Brasileira.

O Viva Flor atenderá, inicialmente, até 100 mulheres que tiveram medidas protetivas deferidas pelo Tribunal de Justiça de Brasília e dos Territórios (TJDFT). Portanto, quem escolhe o caso e por quanto tempo a ferramenta poderá ser utilizada pelas vítimas protegidas é o Poder Judiciário. Após o prazo de um ano, o programa será reavaliado e poderá ser estendido.

As mulheres receberão um aparelho celular com o aplicativo instalado e serão capacitadas por agentes de segurança para manuseá-lo. Para situações em que elas não estão amparadas por medida protetiva de urgência, mas precisam denunciar agressões ou ameaças, devem ligar para o Disque 180 ou para o 156 — opção 6.

 

 

Deixe sua resposta